#17 - Podemos conversar? - A importância de falar

Publicado
Comentários Nenhum

No que respeita ao ESL, falar e escrever são geralmente conhecidas como as “competências produtivas”. São claramente as mais importantes sendo que ambas são as bases da comunicação. No entanto, para os alunos, o “falar” é muitas vezes considerado como a mais importante, sendo visto como a forma mais comum de estabelecer relações interpessoais. É essencial se quisermos cumprir tarefas de forma eficiente, recolher informações ou dar instruções. Para além disso, hoje em dia, todas as profissões requerem algumas competências comunicativas e interpessoais. A comunicação oral no local de trabalho apresenta-se de várias formas: discussões, reuniões, negociação, apresentações e até mesmo debates. E, claro, não nos esqueçamos do… ATENDIMENTO TELEFÓNICO. Yikes! Variadas profissões (ex.: médicos, Técnicos IT, Assistentes Administrativos, etc.) também obrigam à comunicação com o cliente.

Falar é considerado pelos alunos como uma das competências mais difíceis de trabalhar. Isto é bastante compreensível uma vez que é uma tarefa executada em tempo real. Simplificando, os alunos têm muito pouco tempo para formular o que querem dizer e como o querem dizer. A insegurança à volta do tempo, leva muitas vezes o aluno a evitar falar, e como tal, eles nunca chegam a ter a oportunidade de trabalhar essa confiança através da prática. Torna-se um ciclo vicioso. Outra razão pela qual os alunos evitam falar (muitas vezes relacionada com a questão do tempo) é o medo de cometer erros e não serem entendidos por causa da má pronúncia.

Sendo ou não a pronúncia uma questão legítima, ou simplesmente produto da falta de confiança, a (má) pronúncia muitas vezes resulta de aprendizagens anteriores (ou em curso) com uma ênfase desproporcional na correção escrita sobre as competências orais.

Da minha própria experiência, tenho visto os resultados disto com os alunos a lutar para se expressar oralmente em simples exercícios de comunicação, tendo ao mesmo tempo níveis de leitura e/ou compreensão oral bastante elevados. Não é então de admirar que, em Portugal, com turmas de ensino primário e secundário de 25 alunos, os alunos tenham poucas oportunidades de desenvolver as suas competências de produção oral. Em muitos casos, os alunos podem também ter poucas oportunidades de praticar o seu Inglês fora da sala de aula.

Então vamos “falar” sobre o futuro, vamos? Com os recentes aumentos das taxas de emigração causados pelo aumento do desemprego e pela falta de criação de postos de trabalho, notei um aumento na quantidade de Portugueses que se preparam para emigrar e que como tal procuram uma solução rápida… isto é, querem melhorar as suas competências orais num curto espaço de tempo. Aqui na LANGUAGES UNLIMITED tentamos satisfazer essas necessidades proporcionando cursos com abordagens muito baseadas na oralidade, no nossos cursos mini-intensivos de baixo custo que promovemos a cada 2 meses, para grupos pequenos e para vários níveis. Este tipo de cursos pode, indubitavelmente, ser muito útil para aqueles que precisam de reforçar as competências orais rapidamente. No entanto, não há nenhuma solução rápida para aprender as várias competências (incluindo as de produção oral) envolvidas na aquisição de linguagem. Aprender uma língua leva o seu tempo e é um processo contínuo, ponto assente.


Assim, se eu pudesse apenas dizer uma última coisa… Não crie limites a si próprio! FALE Inglês!! Não espere até perceber que o seu novo emprego requer um bom nível de Inglês (ou qualquer que seja a língua de trabalho) para fazer um curso de línguas altamente comunicativo. Com a incerteza de hoje em dia, pode até esperar… por sua conta e risco.


Courtney How, Managing Director

Autor

Comentários

Não existem actualmente comentarios a este artigo

Comment

Insira o seu comentário abaixo. Campos marcados * são necessários. Deve previsualizar o seu comentário, antes de finalmente o inserir.





← mais velho mais recente →